Seria sentir ?

12/08/2010 2 Lembretes .
"Lembre-se do dia em que começamos isso; e você fez a forma do meu coração com as suas mãos nós tentamos fazer algum sentido" The maine - I most be dreaming.


Eu podia sentir o sol beijando a minha pele, assim como podia sentir você sussurrando em meu ouvido falando como estava lindo aquele por do sol. 
Em geral achava que você se arriscava comigo, mas você sempre me dizia que eu era sua assim como você era meu. 
- Está na hora Luna.  
Suas palavras soaram como uma pluma em minha pele.
- Mais já? Quantas horas? - eu não queria ir embora, mais já estava sentindo um leve frio; como se o sol estivesse mesmo me dizendo adeus aquele maravilhoso dia.
- Luna sua boba, vão achar que estamos fazendo algo errado, para você são exatamente 6:15min.
- Desculpa Biel, é que está tão bom.
- Eu sei, vamos?
- Sim.
Eu já decorara aquele caminho para casa, exatamente 30 passos; mais ele insistia em me levar e me deixa em segurança com minha mãe. Fomos quietos o caminho inteiro isso não era muito comum, ele no todo falava demais; chegava ser irritante, mas como eu era na minha resolvi respeitar.
- Ei Luna, tenho um presente para você.
- Jura? É por isso que estava calado esse tempo todo?
- Mais ou menos isso.
- Ah Biel, me conte!
- Mais tarde, vou lhe deixar em casa; só poso adiantar que você vai amar.
Minha mãe sempre disse que ele valia ouro, sempre me disse que era a pessoa que sempre sonhara para mim; embora eu e o Gabriel não tivéssemos esse grande apego amoroso um pelo outro era algo mais para irmãos, coisa que só nós poderíamos dizer. Ele ia a minha casa todo dia de manhã, para dizer que eu estava linda para ir a escola, e quando ele sisma em me maquiar?
Não sei como falar, como contar é que; quando tinha 9 anos por causa de uma doença no globo ocular, acabei perdendo 95% da visão, apenas vendo vultos ou claridades; Biel como nada bobo sempre me ajudando desde criança. As idas ao shopping era uma festa, era como se cores voassem em torno de mim, não creio que fico muito bonita com as coisas que ele escolhe, minha mãe ama; mais familia é familia e como ele é um irmão para mim então a opinião dele não conta.
- Ei Luna?
- Ãn, oi Biel; estava pensando em algumas coisas acabei me perdendo, o que foi chegamos não reparei.
- Sua voada, tenho medo de um dia te deixar e você não saber se virar menina.
- Do que está falando Biel? Você não está pensando em me largar não é? Olha sei que não posso fazer o que a metade das meninas fazem, mais eu posso mudar se você quiser alguma coisa...
- Sabe que não precisa disso Luna, você é perfeita; a pessoa mais pura, seu coração ninguém, escute ninguém pode tem igual. Você não tem maldade nas coisas, ri de tudo sem ao menos poder ver. Se todas as pessoas fossem que nem você, Luna o mundo estava perfeito.
- Mi piace come si.
- Sono felice con te.
- Você tem mesmo frequentado as aulas de italiano Biel.
- Como prometi. Chegamos Luninha, se cuida certo?
- Sim, olha espero meu presente viu senhor Gabriel Olivera?
- Sim senhora.
Entrei dentro de casa e deixei minha mãe, conversando com Biel como sempre; não ia ficar escutando por traz isso era feio e eu já tinha meus 16 anos para saber que isso era coisa de criança. Troquei de roupa e deitei na cama.


- Luna? Luna?
- Oi
Mal podia mexer o corpo, quem estava me gritando mal tinha deitado!
- Acorda filha, perdeu as horas?
Ãn? Quantas horas deveria ser perdi tanto tempo assim?
Troquei de roupa o mais rápido possível, e fui esperar por Biel. Nossa como ele está demorando!
- Mãe, o Biel falou que não iria vir hoje?
- Filha, você está precisando de alguma coisa? Escute, hoje não vai ter como ir a escola; você tem medico vamos fazer uma nova consulta.
- Mas mãe o Biel, ele sempre vai comigo onde ele está?
- Mais tarde encontramos ele pode ser?
- Não, é claro que não; ele SEMPRE vai comigo não é justo.
- Hoje não Luna, hoje isso não vai poder acontecer; eu vou separar sua roupa para você ir, se precisar de ajuda com a maquiagem me grite.

É claro que eu ia precisar de ajuda ela sabe disso, e como que ele não iria; isso era extremamente ridículo! Não quero ir se meu guia não vai, pode soar ridículo, mais o Biel era como um cão de guarda para mim, um cão guia algo do tipo. Portanto eu o amava mais que um animal claro e ele também me amava.
- Estou pronta mãe.
- Quer ajuda com a maquiagem?
- Não obrigada.
- Vamos.
Peguei minha guia e sai, a entrada no carro não foi tão difícil quanto eu imaginava; eu já tinha perdido o costume de andar de carros, preferia andar a pé com o Biel, conversar com ele era mágico.


- Então dona Carlotta; iremos marcar a cirurgia para semana que vem como o combinado. Ela terá de permanecer em repouso por 2 semanas longe de claridade sendo quê, na primeira semana ela poderá retirar a faixa mais sempre com muito cuidado e limpeza.
- Mas mãe? Como assim?
- É filha isso mesmo, achamos um doador em fim você vai poder enxergar novamente.
- Mas, como? Isso é ótimo, vou poder ver o Biel; as meninas falam que ele é LINDO.
Cento eu não deveria ter gritado daquela forma mais realmente estava feliz.


Assim que chegamos em casa peguei o telefone e contar as novas a ele, e estranho pela primeira vez ninguém me atendia; liguei de novo só de raiva e nada.
- Ok não deve ser nada de mais.
Eu repetia para mim mesma, infelizmente aquela viajem foi um pouco cansativa, dormir um pouco não seria mal.


A semana passou voando, não sei como sobrevivi a ela; sinceramente acho que devo ter feito alguma coisa ao Biel, ele não aparecia a semana inteira e na casa dele ninguém me atendia, era como se todos tivessem ido viajar e me deletado assim, sem me dizer tchau!
Eu estou começando a intender o que ele quis dizer com o presente dele, era sumir, só pode ser não há mais explicações para isso. Caramba Biel como eu estou brava com você, pensei que nós eramos amigos você disse que gostava de mim e sumiu, que vontade de gritar; mais você não iria escutar mesmo!
- Pronto filha?
- Mãe mais uma pergunta?
- Sim, pode sim.
- Mãe o Gabriel, ele me deixou; eu não estou com raiva dele, ele deve ter os motivos mais porque ele não liga de volta, ou pelo menos me mande alguma coisa que eu saiba como ele está, quero contar para ele sobre isso.
Ela me deu o abraço mais caloroso que uma mãe poderia dar ao ver uma filha chorando, não sei se aquilo foi de dó ou o que realmente estava acontecendo era pior.
- Ele sabe filha, ele sabe de tudo não se preocupe.
- Você contou para ele?
- Ele sabia isso antes de nós, então vamos?
- Mais uma ultima, sabe de algum presente que ele me deixou?
- Sei sim, quando voltarmos lhe darei.
- Ah obrigada.


Não lembro de muitas coisas, não sei como tinha ido a cirurgia senti muitas dores; o medico sempre dizia que era normal. Estava de olhos vendado, como aprendi muito a viver com o pouco da visão; então passei a escutar as coisas mais e mais.
Hoje era meu dia de alta e realmente não sabia se queria ir mesmo para casa, tirar aquela venda e ver as coisas mais coloridas ainda; o meu Deus, como eu tinha medo de ver minha roupas as roupas que o ... Ok não vou mais pensar no nome dele, ele não apareceu, simplesmente é um IDIOTA.
A chegada em casa foi tranquila, até demais; chegando lá minha mãe cuidadosamente retirou a faixa e magnífico, eu já podia distinguir as coisas!
Minha mãe veio com um pacote perto de mim, e perguntou se ainda sabia ler; mais que coisa idiota é claro que eu sabia ler, mais primeiro queria olhar no espelho e ver aqueles olhos.
- Verde!!! - dei um grito.
Meu sonho era ter um olho verde, meus antigos mal me lembre eram castanhos não muito chamativos, e Deus como eu estava linda; nunca pensei que estaria com esse corpo o cabelo, o Gabriel sim não vou ter medo de chama-lo, ele sabia que eu estava assim ele cuidava mesmo de mim.
- Mãe, posso ver o pacote? - já tinha me esquecido.
- Pensei um pouco Luna é melhor semana que vem a surpresa vai ser maior.
Como se já não estivesse morrendo por causa disso, mais uma semana para que ela foi me mostrar então? Bem já que não podia fazer nada mesmo me restava cochilar. 

- Parabéns minha filhotinha.
- Mãe que dia é hoje?
- É seu aniversário querida; como se sente?
- Perfeita mãe, estou perfeita; eu nunca tinha notado como a senhora era linda.
- O minha filha, você é igual a mim; modesta parte linda também, e olha como prometido aqui está seu presente, esse é meu e esse velho... bem ele é de uma pessoa.
- Eu sei mãe não esqueci.

Peguei aqueles presentes correndo para não fazer de desfeita, eu fui logo abrindo o dela; era um par de brincos a coisa mais linda do mundo, eles brilhavam que chegavam a doer meus novos olhos. Rapidamente lhe dei um abraço e agradeci por ter me dado eles, e que não precisava deveria ter custado uma nota.
Peguei aquele envelope que parecia estar pesado, e de vagar comecei a abrir. Um álbum de fotos, um outro envelope e uma correntinha. Peguei aquela pequena corrente e enrolei no pulso como uma pulseira e comecei a ver as fotos.
Todas as fotos que jamais imaginei ter, era ele do meu lado o Biel; lindo e perfeito como elas sempre haviam me falado, aquelas meninas que odiavam ver ele cuidado de uma pobre menina meio cega.
Uma foto em especial me fez derramar lágrimas, ele estava sentado e eu deitada ao lado dele, parecia ser em um final de tarde, espere essa foto, não precisava enxergar para saber que foi a ultima vez que estive com ele; não sabia que ele estava batendo fotos, e como ele estava lindo seus olhos verdes pareciam estar refletindo aquela grama seca, seu cabelo preto jogado na testa e sua pele branca como uma porcelana; ele estava perfeito. Embora eu não fosse tão atraente meus cabelos avermelhados refletiam a luz do sol e por ser ruiva, minha pele estava um pouco avermelhada também, mais estava notavelmente bonita, melhor dizendo bonitinha.
Atrás da foto uma letra perfeitamente escrita dizendo: - Agora o envelope menor
Não consegui conter  as varias lágrimas, concerteza minha mãe tinha mesmo de ter esperado esse tempo se não teria sido em vão a cirurgia e a pobre pessoa teria perdido os olhos para nada, essa parte também estranho de saber que era um olho de uma pessoa que havia morrido que estava em mim, mais estava feliz.

Luna, Luninha...
Pelo que te conheço bem sei que está muito brava comigo, ou lamentavelmente achando que te abandonei não é?
Se eu pudesse estar do seu lado, e dizer tudo que eu sinto por você; dizer que eu estava esperando esse momento, um dos momentos mais felizes da sua vida, poder olhar no seus olhos e dizer amo você. Pode estar achando besteira não é? Como irmãos era o que falávamos todos os dias, mais para que enganar um coração que sempre foi apaixonado por você!
Quero lhe agradecer por todos os momentos mais felizes que você me proporcionou, esses momentos que levei comigo. Tia Carlotta não achou justo eu não lhe contar, por mim escreveria essa carta e dizendo apenas que fui para longe e que um dia nós nos encontraríamos; mas ela me implorou aquele dia que lhe vi pela ultima vez, e a propósito gostou da foto? Ela está em um lugar que logo menos contarei aqui.
Eu sempre achei que você era a pessoa que mais tinha coração puro nesse mundo, e não me enganei nunca disso pequena Luninha, você não era só minha 'Lua' mais meu sol também. Obrigado por ter me feito a pessoa mais feliz do mundo. Certo você deve esta quase pulando para o final da carta para vê o que tenho a lhe dizer então pois bem.
Não queria te contar, mais a muito tempo ando meio doente; os medicos falaram que não tinha mais cura, embora estava adiando cada dia mais para poder ficar ao teu lado; quero que  saiba que nada foi em vão, se lhe contasse isso, não sei qual poderia ser sua reação, então, aquele ultimo dia que lhe vi sorrindo e seu abraço, oh pequena Luna não tem como esquecer que abraço caloroso eu prometi que nunca ia lhe deixar. Então fiz uma proposta para sua mãe, uma parte de mim sempre estaria com você apesar de meu coração estaria lhe doando esse olhos com que você lê minhas palavras e agora pode me ver nessas fotos a qual registrei cada momento com você.
Obrigado por tudo minha menina, comigo eu levo você no coração para falar com papai do céu que você um dia merece estar do meu lado. 
"Mi hai fatto del bene, vissuto e morto con me, oggi io continuo nei miei ricordi, tu sei mio e ti son" aprendi italiano eu disse que eu iria te falar algo que realmente sentia. Espero que lembre sempre do que lhe falei, que os olhos as vezes nós enganam mais o coração jamais e você já tem o coração sei que fará bom uso do restante.

Um e 1milhão de beijos do seu.
Gabriel Oliveira.





continua...

2 Lembretes .:

  • Pamela Chris disse...

    Livro – O Reino de Milian
    Sinopse
    A guerra dos três Reinos já preocupava Ana e sua mãe antes mesmo de David, um garoto do Reino inimigo, chegar. A partir daí Ana vê sua vida mudada. Juntamente com alguns amigos ela deve viajar entre os Reinos, mesmo com o perigo da guerra, e efetuar uma missão nobre. Uma missão que poderia trazer de volta a paz, a alegria que uma guerra de vinte anos tirou. Uma missão que uniria Milian novamente.
    E Ana está disposta a isso, mesmo que signifique que ela pode não voltar viva.

    Gostou? Então dá uma olhada no blog do livro: http://www.oreinodemilian.blogspot.com
    ;)
    BJS

Postar um comentário

 

©Copyright 2011 Eterno Efêmero